O que é um Biomarcador?

Um biomarcador - abreviação de "marcador biológico" - é algo que pode ser medido objetivamente e é um sinal de um processo normal ou anormal, de uma condição ou doença.
O que é um biomarcador

Um biomarcador pode ser uma molécula encontrada no sangue ou em outros fluidos ou tecidos corporais. Outro tipo de biomarcador é uma assinatura genética ou “impressão digital” – um padrão de atividade em um conjunto de genes que revela alguma condição biológica.

Exemplos de biomarcadores incluem tudo, desde pulso e pressão sanguínea a produtos químicos básicos a testes laboratoriais mais complexos de sangue e outros tecidos. Na oncologia, um biomarcador pode ser uma molécula secretada por um tumor ou uma resposta específica do organismo à presença de câncer. Pode ajudar a identificar cânceres em estágio inicial, prever o quão agressivo pode ser um câncer ou prever o quão bem o paciente responderá ao tratamento.

Alguns exemplos de biomarcadores usados para rastrear a presença de câncer ou avaliar a eficácia do tratamento são AFP (câncer de fígado), BCR-ABL (leucemia mielóide crônica), CA-125 (câncer de ovário), CA19.9 (câncer de pâncreas) e CEA (câncer colorretal).

Os biomarcadores também são usados para prever ou monitorar a recorrência do câncer. Por exemplo, o teste do câncer de mama Oncotype DX® é usado para prever a probabilidade de recorrência do câncer de mama em mulheres tratadas para câncer de mama precoce. O Oncotype DX analisa um painel de 21 genes em células colhidas durante a biópsia do tumor e fornece uma pontuação de risco de recorrência.

Os biomarcadores de câncer também mostraram utilidade no monitoramento do desempenho de um tratamento ao longo do tempo. Os pesquisadores continuam a explorar o potencial desses biomarcadores como alternativas aos atuais testes baseados em imagens, como tomografias e ressonâncias magnéticas.

Uma das áreas mais quentes da pesquisa de biomarcadores é a imunoterapia, um tipo de tratamento que manipula o sistema imunológico de um paciente para combater o câncer com drogas ou células T imunes modificadas. Nos últimos anos, a imunoterapia teve um sucesso dramático em alguns pacientes com alguns tipos de câncer, mas apenas uma minoria de pacientes atualmente responde ao tratamento com agentes de imunoterapia a partir de agora.Os pesquisadores estão trabalhando duro para descobrir biomarcadores que possam identificar antecipadamente quais pacientes provavelmente responderão à imunoterapia.

Em alguns tipos de câncer, a presença ou ausência de moléculas imunológicas de “ponto de verificação”, como PD1 nas células imunológicas ou PDL-1 nas células cancerígenas, tem sido associada a uma resposta melhor ou pior à imunoterapia.

Compartilhe
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp

Agendar consulta

Para solicitar uma consulta em nossa clínica é só utilizar o formulário abaixo.
Open chat